<img class="alignleft" src="http://www.globalframe.com.br/gf_base/empresas/MIGA/imagens/126A26CE771FBC82E5FB18A556631BAAB4FB_sergiomachado Check This Out.png” width=”160″ height=”217″ align=”left” border=”0″ />Há alguns dias, o delator Sérgio Machado, aquele que gravou meio mundo, desistiu de iniciar o cumprimento antecipado da pena. Antes, ele é que havia proposto o início antecipado da inexorável punição. Segundo a proposta inicial, ele deveria permanecer completamente recluso em casa por 2 anos e 3 meses. Nos nove meses seguintes, poderia sair para prestar serviços comunitários. Em sua suntuosa residência em Fortaleza, deveria receber apenas advogados, profissionais de saúde e uma relação restrita de 27 familiares e amigos. A delação dizia que era “facultado” a Machado, em até 30 dias depois da homologação de seu acordo, pedir para cumprir a pena antecipadamente. Isso foi feito e o caso estava na PGR, mas a defesa desistiu e apontou razões “de foro íntimo”. De modo que Sérgio Machado, o big delator que vai devolver a migalha (para ele, não para nós) de R$ 76 milhões, estava ontem à tarde, às 17h, flanando gostosamente pelo shopping Rio Mar, na bela capital cearense. Um leitor ainda viu quando ele se dirigiu ao cinema e depois de comprada uma crocante pipoca, adentrou ao estabelecimento. O migalheiro que a tudo presenciou só não soube precisar se ele foi assistir ao filme “Gênios do crime” ou “Conexão Escobar”.

Deixe uma resposta